Eu e minha assexualidade

10:24 PM

Olá meus chuchuzinhos! Tudo bem com vocês? O post de hoje é sobre assexualidade (não? sério?), dessa vez eu vim falar sobre como eu lido com ela, como eu me aceitei, já que muita gente acha admirável o fato de eu ter coragem(?) de falar tão abertamente sobre assunto. Vamos lá?



ATENÇÃO: Se o tema assexualidade não é do seu interesse, procure posts do seu agrado aqui no blog, não perca seu tempo lendo tudo que escrevi para no final fazer algum comentário inútil e ofensivo. Obrigada! 

Se aceitar é importante... Eu sei que nem sempre é fácil se aceitar, principalmente quando descobrimos que não temos a orientação que todos julgam "padrão". Eu sei que dá medo falar para alguém, eu sei que dá medo as vezes até de sair na rua com medo do que vão pensar de você, mas acredite em mim quando digo que o que os outros pensam não iram te fazer mudar, ou ser um padrão, o que os outros pensam é problema deles, não seu, afinal você deve ter outros problemas. Eu não tive muito trabalho para me aceitar. Me descobrir assexual para mim foi um grande alívio, e um sentimento muito bom, pois eu não sou tão "anormal" quanto imaginava, e não estou sozinha. O sentimento de liberdade deve ser maior do que o medo do que vão pensar de você, pois se você se sente liberto, fica mais fácil de aceitar, fica mais fácil conviver com essa descoberta todos os dias. E claro, que você deve se amar, e se orgulhar e muito de ser quem você é, seja você quem for. Quando você se orgulha de quem é, falar sobre você ao mundo não é um fardo, mas um prazer.
Obviamente, o se aceitar, o se orgulhar, demora de pessoa para pessoa. Eu não levei muito tempo para me assumir, mas conheço aces que ainda não conseguem nem ao menos contar para os companheiros sobre sua assexualidade e acabam num relacionamento onde fazem sexo só para agradar o parceiro, só para ninguém desconfiar. Então não se preocupe em ter que se descobrir hoje e se assumir duas horas depois, pois não funciona assim e nem nunca vai funcionar. O processo de se descobrir costuma levar tempo, o processo de se aceitar mais ainda e se assumir é um passo muito grande, e requer coragem, orgulho e muito amor, e apoio. Cada um tem seu próprio tempo para todas etapas, não importa se demora, ou não, o importante é se amar, seja qual for a orientação sexual, peso, altura, enfim, seja lá como você é. Se aceite, se ame, se orgulhe do ser humano maravilhoso que você é!

Eu e a assexualidade: Quando eu me descobri ace eu até fiquei feliz, fiquei tipo "PQP! EU NÃO SOU A ÚNICA PESSOA QUE PREFERE BOLO DO SEXO NESSE MUNDO!!!". Claro que não descobri do dia para noite né? Li muito sobre em vários sites, entrei em grupos e até descobrir minha identidade de atração (que é a parromântica a quem interessar) foi quase um século porque no começo é confuso entender o que se passa na sua cabeça, mas a gente pesquisa, estuda, conversa e booom se descobre! 
Desde que me descobri lido muito bem com isso, quem me acompanha no facebook, twitter e etc sabe disso, sabe que nunca tive problema em falar como é ser assexual, explicar o que é assexualidade, reclamar de preconceito, e essas coisas. Claro que a parte que envolve o amor se tornou um pouco mais complicada já que ultimamente as pessoas andam mais interessadas em sexo do que carinho, e relacionamento sem sexo? "IMAGINA QUE ABSURDO! QUE MINA CUZONA NÃO QUERER DAR PRA TI!!1". Você ai que leu e já pensou "ah existem relacionamento sem sexo", existe gente, claro que existe, mas você se imagina em um? Você conseguiria ter um? 
Como eu já disse no post "Não é mais fácil", a minha vida não se tornou mais fácil porque eu me assumi assexual, eu não deixo de sofrer por amor, ou de querer um relacionamento, muito pelo contrário, eu sofro por amor, eu quero um relacionamento e é isso que fode tudo. Porque ultimamente as pessoas não andam querendo relacionamentos, elas não querem mais estar com alguém por mais que uma noite, o mundo tá foda para os assexuais românticos, e para pessoas românticas, mas a gente faz o que pode para não se deixar afetar, e segue em frente. Porque apesar de tudo, eu ainda amo ser quem sou e me orgulho muito disso. 
Em resumo, por mais que as vezes seja difícil, que dê medo, que assuste ser assim, se eu pudesse mudar, não mudaria, pois eu amo minha assexualidade, os amigos que ela me trouxe, os amores "platônicos" que ela me deu e todas as coisas legais que vieram acompanhada dessa orientação e de todas as pessoas maravilhosas que fazem parte dessa comunidade. Eu amo ser assexual, e tenho orgulho disso.

Se você quiser conversar sobre se aceitar, me procura, eu vou ajudar você!

Com carinho, Carol.






You Might Also Like

0 comentários

Like us on Facebook

Flickr Images