In Aleatório

Meus dramas favoritos!

Olá meus chuchuzinhos! Tudo bem com vocês? O post de hoje é sobre meus filmes de dramas favoritos, são dramas baseados em histórias reais de pessoas que mudaram ao mundo ao seu redor, um deles fala até mesmo sobre a guerra! Então bora lá?



Eu vou fazer do quinto ao primeiro, mas isso não significa nada é só um jeito de organizar os títulos, tá bem? Ah, e já quero deixar avisado: eu sou péssimas com sinopses, por isso vou usar das prontas  e meio que deixar minha crítica sobre cada filme. Tá bem? 

5º : The Help - Histórias Cruzadas 
Sinopse: "Jackson, pequena cidade no estado do Mississipi, anos 60. Skeeter (Emma Stone) é uma garota da sociedade que retorna determinada a se tornar escritora. Ela começa a entrevistar as mulheres negras da cidade, que deixaram suas vidas para trabalhar na criação dos filhos da elite branca, da qual a própria Skeeter faz parte. Aibileen Clark (Viola Davis), a emprega da melhor amiga de Skeeter, é a primeira a conceder uma entrevista, o que desagrada a sociedade como um todo. Apesar das críticas, Skeeter e Aibileen continuam trabalhando juntas e, aos poucos, conseguem novas adesões." 

Crítica: Eu assisti esse filme, no terceiro ano se não me engano, era a época em que eu estava aprendendo a assistir filmes legendados(aliás, professor Michael obrigada!), mas enfim. Eu lembro que quando o professor falou do filme todo mundo ficou "aaah que saco", mas com o desenvolver da história a gente se apegou aos personagens e acabou mudando completamente de opinião sobre o filme. Vocês que me acompanham sabem que a crueldade da humanidade me assusta muitas vezes, e não foi diferente nesse filme. Ele se passa nos anos 60, onde os negros eram livres, mas de um jeito escravo, confuso né? Eu sei. 
Apesar de ser um drama tem momentos hilários com Minny, principalmente a parte "eat my shit!", acredito que ela é a personagem que foi feita para te fazer sorrir depois de um momento tenso. Assim como os outros filmes que irei listar aqui não há como descrever o quão importante é você assistir, e o quanto ele vai explodir seu cérebro caso você ache que "racismo não existe". Enfim, assistam pelo amor de Goku!



Frida
Sinopse: "Frida Kahlo (Salma Hayek) foi um dos principais nomes da história artística do México. Conceituada e aclamada como pintora, ele teve um agitado casamento aberto com Diego Rivera (Alfred Molina), seu companheiro também nas artes, e ainda um controverso caso com o político Leon Trostky (Geoffrey Rush), além de várias outras mulheres."

Crítica: Esse é outro filme que vi na escola, esse foi um daqueles que queria assistir só para matar aula sabe? Mas no final eu fiquei "santo deus! Que mulher maravilhosa!" (Assim como no filme da Eva Peron). Porque desde o começo você acha a Frida uma mulher "maneira", e com o passar do filme você só vai tendo mais certeza disso.
O filme é uma biografia da artista Frida Kahlo, que conta desde que ela era uma adolescente até o dia de sua morte. Frida era, e ainda é muito conhecida por suas artes um tanto diferentes e seu casamento agitado com Diego, vulgo "Dieguito", fora é claro as várias mulheres com quem ela se envolveu. Sim, ela era bi! Pasmem! Uma das coisas que mais gosto no filme, é como mostra a vida da Frida, como ela foi por completo, como a Frida era independente, forte, até mesmo nos momentos mais sombrios da sua vida, se eu tivesse passado por 1% do que ela passou com certeza não seria tão forte. Frida não é um filme para todas as idades, mas é um filme que você deve assistir e assim educar todas as idades! 



A Teoria de Tudo
Sinopse: "Baseado na biografia de Stephen Hawking, o filme mostra como o jovem astrofísico (Eddie Redmayne) fez descobertas importantes sobre o tempo, além de retratar o seu romance com a aluna de Cambridge Jane Wide (Felicity Jones) e a descoberta de uma doença motora degenerativa quando tinha apenas 21 anos." 

Crítica: Eu nunca imaginei que assistiria um filme sobre o Hawking, não por não gostar dele ou qualquer coisa assim, era por simples falta de interesse mesmo, mas no final eu acabei vendo dois hahaha. 
Esse filme, me fez conhecer mais o Hawking e entender porque ele é um alguém tão admirado, e tão foda! Diferente do outro filme que assisti sobre ele (ah, o filme se chama A História Stephen Hawking, tem no youtube ^^), esse mostra com mais detalhes e como mais drama como foi a vida dele, como ele enfrentou diariamente os obstáculos que sua doença trouxe, e ainda se tornou um físico fascinante, e uma inspiração para jovens físicos e para o pessoal de humanas, como no meu caso. Acho que meu amor por esse filme, pode ser atribuído a interpretação de Eddie Redmayne como Hawking, que cara, não há como descrever! Foi um filme que assisti por recomendação de amigos e quando terminei de assistir queria abraçar os mesmos e dizer "muito obrigada por essa indicação, te amo para todo o sempre", então por isso digo á vocês: ASSISTAM!



O Jogo da Imitação
Sinopse: "Durante a Segunda Guerra Mundial, o governo britânico monta uma equipe que tem por objetivo quebrar o Enigma, o famoso código que os alemães usam para enviar mensagens aos submarinos. Um de seus integrantes é Alan Turing (Benedict Cumberbatch), um matemático de 27 anos estritamente lógico e focado no trabalho, que tem problemas de relacionamento com praticamente todos à sua volta. Não demora muito para que Turing, apesar de sua intransigência, lidere a equipe. Seu grande projeto é construir uma máquina que permita analisar todas as possibilidades de codificação do Enigma em apenas 18 horas, de forma que os ingleses conheçam as ordens enviadas antes que elas sejam executadas. Entretanto, para que o projeto dê certo, Turing terá que aprender a trabalhar em equipe e tem Joan Clarke (Keira Knightley) sua grande incentivadora."

Crítica: Esse filme irá morar no meu coração durante toda minha vida! Eu achei ele ao acaso na Netflix, quando procurei por filmes e séries com a participação do Benedict Cumberbatch, então eu pensei "por que não?". E cara, depois dos primeiros minutos eu já estava vidrada, encantada e completamente apaixonada por Alan Turing, que é pai dessa coisa ai que você tá usando para ler isso e eu para escrever, sim, o pai da Computação. 
Eu sempre gostei de personagens como Alan, solitários, inteligentes, e focados em seus objetivos. O filme traz algo muito além do que a história da equipe que descifrou o "Enigma", ele traz a história de um homem que desde adolescente sofreu por ser diferente e ter suas manias, conta de como o Reino Unido era homofóbico, e como podemos nos perder em nos mesmos. Esse filme me faz chorar, não tanto quanto Marley e Eu, ou qualquer outro filme assim que mexem como nossos sentimentos por quem amamos, mas me faz chorar por todas as vezes em que pessoas como Alan foram deixadas sozinhas, e como isso as destruiu. 



A Garota Dinamarquesa
Sinopse: "Cinebiografia de Lili Elbe (Eddie Redmayne), que nasceu Einar Mogens Wegener e foi a primeira pessoa a se submeter a uma cirurgia de mudança de gênero. Em foco o relacionamento amoroso do pintor dinamarquês com Gerda (Alicia Vikander) e sua descoberta como mulher."

Crítica: Antes de qualquer coisa, mas qualquer coisa mesmo, saibam assistir o filme. "Como assim Carol", eu vi várias pessoas transformarem o "Einar" em "vilão", e isso tá errado. O filme não é sobre o Einar, o filme é sobre a Lili, a primeira trans a se submeter a uma cirurgia de mudança de sexo. Agora que já sabem disso, vamos continuar. A Garota Dinamarquesa foi indicado ao Oscar, em algumas categorias, que agora não me recordo, e foi através dessas indicações que eu conheci o filme e fiquei "meu deus, preciso desse filme imediatamente!", e então eu assisti e não sei dizer o quanto amei, e chorei ao assistir.
O filme, é algo bem delicado, algo que até mesmo o mais durão dos seus amigos vai deixar uma lágrima cair, porque além de delicado ele é de uma riqueza em detalhes inexplicável, são esse detalhes que te prendem ao filme. Eu não conhecia história da Lili, conheci através do filme, e me apaixonei por tamanha inspiração e história, o filme me ensinou a entender um pouco mais o que os transsexuais passaram, e passam todos os dias, esse filme me mostrou o quanto as pessoas podem nos criticar e ferir por tentarmos ser quem somos. Esse filme, você tem que assistir antes de morrer. 



Espero que tenha gostado, e que assistam os filmes!
Com carinho, Carol. 





Related Articles