In Literatura Poemas

Meus Demônios

Eu dou um grito de dor alto, grave e forte
Os demônios em mim se escondem ou então se vão
Não sei dizer o que ocorre exatamente
Mas sei que isso alivia um pouco minha dor...
Uma música fraca toca ao fundo
Algumas velas iluminam meu quarto
Deitada de costas contra o chão
Apenas segurando o choro e tragando um cigarro
Respirando fundo o ar poluído da cidade
E tentando me acalmar, tentando sentir paz
Tentando não pensar na dor...
Cantando num sussurro a música que toca ao fundo
Esquecendo de todos os meus problemas por um instante
Como é bom sentir isso outra vez...
Sentada de frente para a janela
A lua está tão linda lá fora que queria poder toca-la
Virando taças e mais taças de vinho
Até sentir minhas tripas se retorcerem
Respirando de um ar poluído que de alguma forma
Em algum dia eu ajudei a poluir...
Um último grito antes de deitar outra vez
Um último gole de vinho, um último cigarro
Um último tudo
Antes de voltar para o escuro
E meus demônios voltarem para cuidar de mim...
Eu já passei por isso uma vez
E tive toda a coragem para enfrentar cada um dos meus demônios
Eu não terei medo dessa vez, terei ai coragem de sempre
Só não tenho forças agora para essa grande batalha
Eu estou reunindo forças, treinando muito
Para mais uma vez acabar com cada um dos meus demônios...
E você o que está fazendo contra os seus?


C. M. De Lima


Related Articles