In Literatura Poemas

Doente

Andando nas ruas mortas
Enquanto meu pensamento voa para longe
Ele está em você...
Meu corpo dói, e estou cansada de caminhar tanto
Eu juro que tento não pensar em você e fazer outras coisas
Mas meu cérebro está preso á você...
Quando eu era uma garotinha, minha avó dizia que quando garoava
Era porque os anjos estavam chorando, mas eu sempre me perguntei o por que deles chorarem
Foi por que alguém contou uma mentira?
Foi por que alguém teve o coração partido?
Foi por que mais alguém está preso num amor não correspondido?
Foi por que você me abandonou?
Você me destruiu e destruiu tudo aquilo que eu acreditava
Como se não fosse nada
Como quem tira de uma criança seu brinquedo favorito...
Eu estou doente, daquilo que até hoje os seres humanos não sabem exatamente como tratar
E não estou falando de câncer ou aids, estou falando de amor
Puta de uma doença que vai te matar aos poucos!
Caminho por ruas cheias de casais e pessoas felizes
Me pergunto se é realmente felicidade
E ao mesmo tempo me torturo ao ficar observando...
Estou com aquela doença que mata aos poucos
A doença dos fracos e de coração mole
Merda! Estou doente de amor!
As vezes meu silêncio esconde meus gritos
As vezes eu simplesmente queria poder fugir
Na tentativa de que isso fosse capaz de me curar de tudo
E de uma vez por todas livrar minha mente de você...
Estou doente de amor
E por mais clichê que isso pareça. a única cura é você
Não há nada que eu não faria para ter uma chance de cura
Para que você ficasse aqui e me curasse...
Sei que isso é clichê, e você já ouviu isso nas musicas do Bob Dylan
Mas eu estou doente de amor querido, e só você pode me curar...

C. M. De Lima
Dedicado á: Letícia Coelho Souza!
(Imagem da Internet)

Related Articles