In Histórias Literatura

Cigarros, café e alguns assassinatos... Parte III

- Cara, precisamos nos ver, preciso de alguns conselhos seus. - Disse Violet.
- Eu vivo dizendo para você que é só marcar e você sempre esquece de marcar. - Respondeu a voz do outro lado da linha.
- Tá bem, então que tal hoje as 8 na pizzaria perto da escola? - Perguntou Violet.
- Ótimo, nos vemos mais tarde. - Disse a voz.
- Até. - Disse Violet desligando. 

{...}

Os dias estavam passando e Violet se tornava cada vez mais próxima de Leonard, eles quase ficaram umas quatro ou cinco vezes. Violet sempre acabava com o clima, ela não queria fazer aquilo sem antes de falar com o Pedro, embora já soubesse o que iria dizer. Ela sabia que Leonard já estava exatamente onde ela queria: apaixonado. Gente apaixonada é vulnerável, sendo assim o trabalho dela seria muito mais fácil.

- Alô? Pedro? - Perguntou Violet estranhando o pequeno silêncio.
- Diga meu amor, como está? - Disse Pedro. 
- Bem, e você? Preciso te dizer algo. - Disse Violet um pouco nervosa.
- Estou bem também, apesar de ainda estar nessa merda. O que tem para me dizer? - Respondeu Pedro. 
- Já não falta tanto tempo para você sair, talvez se parar de chamar isso ai de merda eles te liberem antes. - Disse Violet rindo.
- Posso tentar, mas você sabe que estaria mentindo se dissesse que não é. - Respondeu Pedro Rindo.
- É verdade... Bem o que tenho a dizer é sobre meu caso novo, ele requer um pouco mais de trabalho e diria até de dedicação. - Disse Violet nervosa.
- Já imagino o que seja. Não precisa da minha autorização para dar um beijo ou qualquer coisa assim numa vítima meu amor. Faça o que tiver que fazer, mas faça um serviço bem feito. - Respondeu Pedro.
- Eu já imaginava que iria dizer isso... - Falou Violet.
- Então por que se preocupou? - Perguntou Pedro.
- Não sei, as vezes não entendo você. - Respondeu Violet.
- Então estamos empatados porque eu também não entendo você as vezes. - Disse Pedro.

E os dois continuaram a conversar por cerca de duas horas. Depois disso Violet foi para  banho e se arrumou para ir na pizzaria e encontrar um velho amigo, que depois do Mayson era a coisa mais próxima de  família que ela tinha, e também era a pessoa que mais poderia lhe aconselhar sobre tortura e afins. 

- Tinha esquecido do quanto você é pontual, desculpa. - Disse Violet cumprimentado.
- E eu o quanto você é baixinha. - Respondeu rindo Daniel. 
- É bom te ver outra vez, depois de anos. - Disse Violet.
- Eu digo o mesmo. Então, em que posso ajuda-la? - Respondeu Daniel.
- No caso que estou trabalhando, o cliente me pediu que fosse cruel e torturasse a vitima, mas eu nem tenho ideia de como fazer isso. - Respondeu Violet.
- Esse é um dos meus hein? Haha. Bem existem várias formas de tortura, algumas mais simples outras mais elaboradas. Isso vai do seu gosto. - Disse Daniel.
- Você sabe que meus métodos são um tanto silenciosos, e que na maioria das vezes não envolvem nada mais que uma seringa de drogas, ou uma faca. - Disse Violet.
- Isso é bom, você pode furar ele por várias partes e jogar soda caustica nos ferimento. Fará ele agonizar bastante, e se não estiver devidamente amordaçado o fará gritar e fazer um escândalo. - Disse Daniel.
- É uma boa ideia, eu vou precisar de um lugar para fazer isso. Esse eu não vou poder resolver no meu apartamento. Sabe de algum lugar? - Perguntou Violet.
- Simples, faça na casa dele. - Respondeu Daniel.
- Na casa dele? Tá louco? É o mesmo que se entregar. - Disse irritada Violet.
- É só por fogo em tudo depois, e ninguém vai saber. - Respondeu Daniel esboçando um leve sorriso.
- Nem tudo se resume em fogo sabia? E tem outra eles iriam procurar o corpo e... - Disse Violet.
- Okay, okay. Tem uma casa num lago, é bem isolado. Parece até o lugar onde gravaram Doce Vingança. Você podia dar uma passada lá, vou te dar o endereço. - Disse Daniel escrevendo o endereço num guardanapo.
- Vou ver, muito obrigada. Agora que tal agirmos como pessoas normais e comermos alguma pizza? - Perguntou Violet.
- Você leu meus pensamentos menina. - Respondeu Daniel.

Eles ficaram lá até perto da 00:00 e então cada um foi para sua casa. Ao chegar em casa Violet tomou um banho e como sempre foi assistir suas séries, enquanto assistia trocava mensagens com Pedro que de alguma forma conseguiu um celular por uma noite. Ela dormiu ali mesmo no sofá.
Na manhã seguinte ela acordou cedo e foi até o lugar que Daniel a recomendara na noite passada, e dali ela iria visitar Mayson. Ao chegar na tal casa do lago ela se deu conta de que Daniel não estava brincando quando disse que o lugar lembrava a casa de Doce Vingança. Um garoto de mais ou menos 23 anos a guiou por entre as instalações.

- Então a senhorita pretende alugar por uma semana, um mês um... - Disse o jovem rapaz antes de ser interrompido por Violet.
- Por duas noites. - Disse Violet interrompendo o jovem rapaz.
- Ah sim, seria esse final de semana? - Pergunto o rapaz.
- Sim. Na verdade eu teria de ver com meu namorado, mas eu creio que seria esse final de semana. - Disse Violet.
- Entendo, a senhorita tem nosso numero para nos avisar se vai alugar ou não? - Perguntou o garoto.
- Tenho sim. Aqui é realmente bem isolado não é? - Perguntou Violet.
- É sim, durante o final de semana é ainda mais isolado. Se é privacidade que procuram é o que irão achar aqui. - Respondeu o garoto.
- Ótimo, então acho que meu namorado irá gostar. - Disse Violet soltando um sorriso que o garoto retribuiu.
- Se não se importa eu tenho que ir, eu adorei o lugar, e até hoje a noite terei a resposta. Você não se importa se eu ligar muito tarde não é? - Disse Violet.
- Não senhorita. Eu costumo dormir bem tarde. - Respondeu o garoto.
- Ótimo. Até logo. - Disse Violet se dirigindo até seu carro.
- Tchau. - Respondeu o garoto.

Violet saiu de lá muito contente por ter achado aquele lugar e já estava decida que iria ser lá que ela iria matar Leonard Sky. Então ela precisava de seu equipamento e dirigiu até a casa de Mayson. E obviamente ela levou uma garrafa de vinho Chileno, o favorito dele.

- Eu sabia que você não ousaria aparecer aqui sem me trazer um vinho. - Disse Mayson rindo.
- Você gosta das suas bolas? - Perguntou Violet séria.
- As amo. - Respondeu Mayson sério.
- Então acho que não preciso dizer mais nada não é? - Disse Violet dando um sorriso de canto.
- Não mesmo, entre vou te entregar suas coisas e vamos conversar. - Disse Mayson.
- Porra até que enfim, achei que ia me deixar na porta para sempre. - Disse Violet sorrindo.
- Deixe de ser reclamona e entre de uma vez! - Disse Mayson sorrindo.

Violet entrou e eles abriram o vinho e conversaram sobre tudo, os clientes de Violet, os clientes de Mayson, sobre Pedro, sobre métodos de tortura e tudo aquilo que eles julgavam ser normal. E no final Mayson entregou a Violet uma bolsa com as coisas que ela havia pedido a ele. armas, sedativos, e muitas facas. Ela então se despediu do bom e velho amigo entrou em seu carro e voltou para casa.

Em casa ela tomou banho, conversou com Pedro, deu corda para Leonard, e depois de tudo isso se jogou no sofá e foi assistir uma maratona Star Wars. Ao assistir a maratona começou a se lembrar de quando assistia Star Wars no reformatório, nas raras vezes em que não estava de castigo por aprontar com Pedro alguma coisa. E o quanto sua vida tinha mudado desde então (Sei o que deve estar pensando, uma assassina refletindo sobre a vida? Mas isso acontece minha gente). O barulho dos sabres de luz foram interrompidos pelo barulho do seu telefone tocando:
- Alô? - Disse Violet sem saber ao certo que estava a ligando, ela tinha o péssimo habito de não salvar números.
- Oi, sou eu Leonard. Sei que é loucura estar te ligando a essa hora do celular da minha mãe, mas é que eu queria te dizer algo muito importante. - Disse Leonard com certa dificuldade.
- Pode falar, estou te ouvindo. - Disse Violet sorrindo pois já imaginava o que era.
- Bem eu... Ah cara, isso definitivamente não é hora de ter vergonha... Okay, vamos lá. Eu te amo Violet Manson, eu estou completamente apaixonado por você! - Disse Leonard tropeçando nas palavras.
 - Uau, é muita informação para uma noite só. Acho que deveríamos falar sobre isso pessoalmente. Que tal você passar um final de semana comigo na casa de lago de um amigo meu? - Perguntou Violet.
- Claro, seria um prazer. - Disse Leonard meio sem acreditar.
- Ótimo, me encontre sexta no lugar onde nos conhecemos. - Respondeu Violet.
- Está bem, eu mal vejo a hora. - Disse Leonard.
- Nem eu. Agora preciso desligar, até sexta. - Disse Violet.
- Até meu amor. - Disse Leonard;

Violet estava muito feliz, não pelo fato de Leonard estar apaixonado por ela, mas sim por seu plano estar dando certo. Ela não perdeu tempo e reservou a casa no lago. E antes de dormir fez mais uma ligação:

- Sr. Rafael? - Disse Violet.
- Senhorita Violet, a que devo a honra de sua ligação? - Perguntou Rafael.
- Boas novas, até na próxima terça o senhor terá em mãos a cabeça de Leonard Sky. - Disse Violet.

{...}

C. M. De Lima. 

Related Articles