In Literatura Poemas

Mergulhe-me em amor

Veja todas essas casas vazias com luzes acesas
Veja todas essas velas que foram acesas para mim essa noite
Veja todas essas coisas que estou vendo pela última vez
Antes que eles venham me buscar...
Caminhando a passos curtos por intermináveis ruas
Tentando aproveitar cada segundo, antes que tudo se acabe
Observando as casas, os jardins, tudo aquilo que estou vendo por uma última vez
Ouvindo o som das corujas, e dos carros que passam de vez em quando
Mantendo o pensamento longe de toda realidade
Pois logo eles estarão aqui...
Há muita pressão sobre meus ombros
Há muitos gritos de dor machucando meus ouvidos
Há muitas feridas destruindo meu corpo
Há muitas decepções matando meu coração...
Céus! O que diabos aconteceu comigo?
Por que não consigo lembrar de todo o amor que me foi dado?
Por que somente as lembranças ruins assombram minha mente?
Quanto tempo ainda me resta?
Quanto tempo até eles me acharem?
Num meio fio qualquer um cachorro me lambe a face
Esse pequeno gesto carregado de amor, me faz me sentir viva
Era tudo que eu precisava
E do nada, e sem que eu saiba, a escuridão daquela rua um luz forte surge
Me toma os olhos e me deixa cega por alguns instantes
Eles me acharam...
Paredes brancas, barulhos de máquinas
Eu reconheço esse lugar
Tubos ligados as minhas veias
Fios conectados ao meu peito
Mais uma vez eles estão tentando me manter viva
Isso não irá adiantar, as almas da rua já me contaram o fim está próximo
E de alguma forma isso não me deixa triste...
Eu tenho direito á um último pedido, então por favor
Quando eu me for
Mergulhe-me em amor, para que toda minha dor
No final de tudo tenha valido de algo...
Por favor não se esqueça
Mergulhe-me em amor...

~C. M. De Lima.


Related Articles