In Literatura Poemas

Minha vida de volta

As ruas estão cheias de pessoas vazias
Pessoas que tentam não parecer vazias
No meio de outras pessoas...
As casas estão cheias de pessoas sem alegria
Que se trancam em seus quartos para apenas
Não mostrar a dor que estão sentindo...
Os corações estão feridos
Indo cada vez a mais guerras
Se ferindo cada vez mais...
Os olhos estão cheios de lágrimas
Que não caem por vergonha
Porque as pessoas não querem se passar por fracas...
Os lugares estão cheios de pessoas que fingem viver
Mas nenhuma sabe o que é isso...
Eu vi as pessoas sofrendo, morrendo por amor
Não pelo amor ter acabado e sim por ele não ter existido
Eu vi pessoas morrendo por tanta coisa
Eu vi tantos sonhos morrerem
Eu vi tantos amores morrerem
Eu vi toda minha esperança acabar...
Essa nossa alma é um buraco sem fundo
É algum abismo escuro
Que todo mundo tenta preencher
Com qualquer porcaria que traga uma felicidade momentânea...
Cigarros, bebidas, sexo, dormir, comer
Qualquer vã alegria que nos faça esquecer de como somos vazios
Para tentar não se sentir vazios...
Vivendo de tudo que se pode aproveitar
Sempre esquecendo o agora
Porcaria de alma sem rumo
Que anda por qualquer caminho escuro
E se machuca todo dia
Eita coração vagabundo
Que não sabe se controlar, que vive se ferindo na mais estúpida porcaria
Cadê minha esperança maldita
Que volte e meia some da minha vida...
Eta vida complicada e sofrida que ninguém avisou que seria tão ruim
Porcaria de vazio no meu peito que machuca e destrói minha vida
Que eu tento preencher com qualquer e simples vã alegria...
Maldito vazio, buraco no peito deixado
Que me faz todo dia acordar gritando
Eu quero minha vida de volta...
~C. M. De Lima

Related Articles